fbpx

Quando pensamos em reeducação alimentar ou dietas para emagrecer, a primeira ideia que vem à mente está relacionada ao tipo de alimento a ser consumido e seu respectivo valor calórico. Porém, pouco se fala sobre a influência de outros fatores que contribuem para redução de medidas, como a periodicidade e os intervalos entre as refeições.

 

 

A melhor frequência com que devemos nos alimentar para ao chegar ao peso ideal depende da reação de cada organismo e, segundo especialistas, a ideia de comer de 3 em 3 horas já não é mais uma verdade absoluta no que diz respeito ao emagrecimento. Para determinar a quantidade ideal e o espaço de tempo entre uma refeição e outra, é necessário avaliar a bio-individualidade do paciente, considerando sua rotina e seu metabolismo. Por esse motivo, o acompanhamento com um nutricionista pode ser de grande valia para quem busca saúde e redução de medidas.

Ao receber nutrientes, o nosso corpo tende a acumular e distribuir energia gradativamente, e o horário de alimentação causa impacto direto nesse fluxo. É durante a noite que nosso o sistema digestivo se prepara para descansar e, para quem busca uma vida saudável ou deseja perder peso, é contraindicado fazer refeições nesse período. Uma pesquisa conduzida por médicos de um hospital de Boston, nos Estados Unidos, concluiu que o ato de “assaltar a geladeira” durante a madrugada, mesmo que seja para petiscar algo leve, altera a produção de hormônios, o que contribui para o sobrepeso. 

O endocrinologista da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Bruno Geloneze, concedeu recentemente uma entrevista para o portal Saúde falando sobre o tema. “Durante a noite, já contamos com um mecanismo natural de produção de glicose. Se ainda ofertamos mais dessa substância por meio da alimentação, ocorrerá uma sobrecarga capaz de predispor a problemas”, pondera o especialista.

 

 

Por outro lado, fazer um café da manhã reforçado diariamente nem sempre favorece o emagrecimento. Exagerar logo no desjejum produz picos de insulina, causando maior armazenamento de gordura no organismo e sensação de insaciedade. O ideal é seguir uma alimentação balanceada, evitar pular as refeições e se livrar da dependência por doces e carboidratos – que devem ser consumidos com moderação.

Veja abaixo alguns exemplos de alimentos indicados para o horário noturno: 

 

  • Água: Hidrate-se para a desidratação não aumentar e potencializar ainda mais sua fome; 
  • Frutas: você pode fazer sucos e smoothies para variar a forma como ingere esse alimento;
  • Vegetais: é simples e rápido fazer uma salada saudável, saborosa e que alimente bem; 
  • Grãos integrais: experimente quinoa, aveia e linhaça.

 

Quem busca uma alimentação leve e natural de verdade deve conhecer as opções variadas da Boali – maior rede de comida saudável do Brasil. São pratos com baixo nível calórico e com ingredientes frescos, selecionados e muito saborosos.

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: